Jardim Hojo do Tofuku-ji, Quioto

Desenhadores Proeminentes de Jardins 5- Shigemori Mirei

 Por Tomoko Kamishima   28/03/2015

O Templo Tofuku-ji em Higashiyama vangloria o maior complexo de edifícios em Quioto. Demorou mais de 19 anos a concluir todas as instalações do templo, de 1236 a 1255. A área do templo abrange um rio, fazendo uso de três pontes. No outono, a vista das folhas coloridas atrai pessoas de todo o Japão. Todos se apressam à Ponte Tsuten-kyo para as ver. Mas eu gostaria de apresentar um belo local para desfrutar as folhas de outono, e um belo jardim japonês ao mesmo tempo, longe das multidões.

Rota

Se vier para a área do templo através do Portão Nio-mon, atravesse a Ponte Gaun-kyo e vire à esquerda. A maior parte das pessoas estarão à espera numa longa fila à entrada da Ponte Tsuten-kyo no outono. Em vez disso, passe por elas e caminhe diretamente para o Jardim Hojo. Existem quatro jardins secos em volta do edifício Hojo.

Um pequeno corredor/terraço de madeira está virado para um vale preenchido por árvores cobertas de fantásticas folhas vermelhas. No dia que visitei, a Ponte Tsuten-kyo estava lotada com centenas de pessoas, mas a partir deste terraço, podíamos levar o nosso tempo a ver a folhagem de outono num ambiente muito relaxado. Além disso, há quatro jardins aqui, todos num estilo japonês moderno.

Jardim Hojo

O desenhador e planeador deste jardim (que foi construído em 1939), Shigemori Mirei, chamou-os de 'jardins conceptuais com expressões abstratas'. O Jardim do Sul retrata um mundo baseado na Mitologia Chinesa: a areia branca em frente ao mar, quatro rochas como lendárias ilhas, e cinco outeiros representando cinco importantes templos Zen em Quioto ou na China. O Jardim Ocidental tem um padrão de xadrez com azáleas. Representa os campos de arroz. O Jardim do Norte retrata abstratamente a ideia de que o Budismo se difundiu da Índia para a Ásia Oriental: Padrões de xadrez cobertos de musgo ficam gradualmente verdes. O Jardim Oriental foi desenhado para representar a Ursa Maior com sete colunas de pedra. Nos rituais de Zen, os sacerdotes usam pequenas bacias para purificação. Todos os quatro jardins estão profundamente relacionados com o Budismo e o estilo de vida asiático, por isso as plantas, pedras, e areia nos jardins são-nos familiares. Mas as impressões que recebemos dos jardins são muito frescas, pois Mirei utilizou algumas ideias bastante criativas.

A aproximação de Shigemori Mirei ao design de jardins

O mais impressionante sobre os jardins de Mirei são as interessantes disposições de pedras e a organização de toda a área. São únicas e modernas. Ele dispôs as pedras como estátuas, plantou um padrão (campo de arroz) em xadrez, e desenhou esquemas gráficos em toda a zona. Ao contrário de outros desenhadores de jardins, ele rapidamente decidiu definir os locais e ângulos de um enorme número de pedras, nunca mudando essas disposições mais tarde, e sem deixar pedras de lado. Os trabalhadores gostavam imenso de trabalhar com Mirei, e conseguiam compreender imediatamente as suas breves instruções. Mirei escreveu sobre as disposições das pedras numa tese, dizendo: "Deus inspirou-me e eu segui essas ordens. Então, as pedras sentaram-se nos seus exatos locais, nos seus exatos ângulos." É isso. A sua aproximação ao design de jardins também foi mantida pela rica cultura da Arte dos Arranjos Florais.

Sobre esta série

Quioto foi a capital do Japão durante mais de 1000 anos (794-1867). É famosa pelos seus templos e jardins, que se separam em três tipos principais (apesar de alguns jardins conjugarem estilos). 1) Jardins secos usam rochas e areia para exprimir a água. São geralmente desenhados para serem apreciados a partir de uma sala. 2) Jardins de estilo excursão normalmente incluem um caminho em redor de um lago. Podemos desfrutar de diferentes vistas durante a caminhada. 3) Jardins de estilo abstrato são bastante modernos mas continuam a seguir algumas tradições de jardins.

O primeiro jardim em Quioto teve origem no Jardim Shinsen-en. Os jardins evoluíram por um longo período de tempo para os três estilos mencionados acima. Nesta série, gostaria de lhe apresentar alguns mestres de planeamento de jardins (jardineiros/arquitetos paisagísticos), e alguns dos deslumbrantes jardins japoneses que eles desenharam em Quioto.

1) Sacerdote Muso Soseki (1275-1351): Jardim Hojo de Tenryu-ji (Jardim de estilo excursão)

2) Kobori Enshu (1579-1647): Jardim Tsuru-Kame de Konchi-in (Jardim seco)

3) Ishikawa Jozan (1583-1672): Quinta Shisen-do (Jardim seco/Jardim de estilo excursão)

4) Ueji VII (1860-1933): Quinta Murin-an (Jardim de estilo excursão)

5) Shigemori Mirei (1896-1975): Jardim Hojo de Tofuku-ji (Jardim de estilo abstrato)

Se gostou desta série, também poderá gostar da minha outra série "Desfrute destes templos com belos corredores exteriores". Esta série apresenta quatro atraentes corredores e jardins de templos em Quioto.

Escrito por Tomoko Kamishima
Membro da JapanTravel
Traduzido por Andre Moreira

Explorar nas proximidades

Junte-se à discussão