O Sumiyoshi Shinji de Osaka

Festival da plantação do arroz

Por Ines Matos   

O Japão está cheio de festivais relacionados com o arroz. O espírito dinâmico do povo japonês e a essência animista do xintoísmo favoreceram o crescimento de festividades ligadas à plantação, manutenção e colheita deste cereal. A solenidade religiosa apresenta-se neles em estreita relação com a energia vigorosa dos camponeses, proporcionando um espectáculo único. Para quem tem a sorte de assistir, fica uma sensação esmagadora de intemporalidade e uma renovada humildade face à natureza. Desde os tempos em que a sorte ou azar nas colheitas ditavam a sobrevivência ou catástrofe de vilas inteiras, estes festivais do arroz servem para concentrar a energia e a esperança da comunidade.

Se estiver pela zona de Osaka no mês de Junho, aproveite para assistir ao Otaue Shinji, que se realiza sempre no dia 14 desse mês. Na verdade, existem vários festivais designados "Otaue" ou mesmo "Otaue Matsuri" por todo o Japão, mas o Otaue Shinji é o festival de plantação de arroz associado ao Santuário Xintoísta Sumiyoshi Taisha, no bairro de Sumiyoshi, em Osaka. Estima-se que o festival exista há cerca de 1700 anos, mas a sua forma actual encerra elementos sobretudo do período Edo.

O Santuário em si não é dedicado a divindades da agricultura, como se poderia supor dada a importância do festival, mas sim a três entidades espirituais ligadas à realeza Yamato e à sua diplomacia internacional. Os "kami" que ali repousam estão sobretudo ligados ao poder bélico nos mares, uma força bruta que atesta o ímpeto de manutenção da independência do Japão face às sucessivas investidas do continente. Mesmo no Japão pós-Edo, este santuário foi directamente suportado pelo Governo, recebendo o título de Kenpei-taisha de 1871 a 1946. O "honden", um edifício dentro do recinto do santuário que é considerado sacrossanto e de acesso muito restrito, foi classificado como Tesouro Nacional por ser o exemplar mais antigo que se conhece dentro do seu estilo arquitectónico. Em 1979, tanto o cerimonial de plantação do arroz como as danças e cantares que se realizam neste festival foram classificadas pelo Estado como um importante património cultural imaterial. Mais tarde, em 2004, a UNESCO integrou estes rituais no Inventário de Património Cultural Imaterial da região Ásia-Pacífico, dando-lhe portanto um reconhecimento internacional.

Sendo um festival religioso e com muitas actividades ao ar livre, o acesso não requer grandes cuidados de marcação, não há bilhetes nem lugares fixos, e o acesso ao santuário é aberto. Contudo, é extremamente popular, por isso no dia do evento terá de chegar cedo para assegurar um bom ponto de vista. Se viajar na linha Nankai a partir do centro de Osaka, dirija-se para sul e saia em Sumiyoshi Taisha Eki. Se viajar na linha Nankai-Koya saia em Sumiyoshi Higashi. Se viajar no eléctrico Hankaidenki, saia em Sumiyoshi Torii Mae.

Os procedimentos do festival emulam uma plantação, a qual ocorre no terreno alagado dentro do próprio Taisha. Uma vez que se consideram as vagens do arroz como dádivas dos deuses, são os sacerdotes que a certa altura entregam estes rebentos aos participantes formais do festival, os quais os vão colocar à mão, um a um, no campo alagado. Antes disso já decorreu a passagem do arado puxado por bois com exuberantes enfeites coloridos, a dança das oito jovens que "pertencem" ao santuário (hoje em dia já não existe realmente a obrigação de serem jovens virgens, e muito menos que sejam propriedade do santuário, mas é isso que representam), a procissão da cortesã-xamã e a dos samurais locais. No final dos cantares e danças, e uma vez terminada a plantação, há uma pequena cerimónia com crianças, que envergam trajes iguais aos daqueles que estiveram a plantar o arroz. Se é um apreciador de música, ou simplesmente um curioso por instrumentos diferentes, aproveite para apreciar o shamisen e o tambor taiko, ambos usados na componente musical do festival em plena integração com o contexto que lhes deu origem.

A população de Osaka é muito acolhedora em relação a visitantes estrangeiros que querem assistir ao festival, mesmo tratando-se de uma cerimónia religiosa. Desde que respeite os outros membros do público, não tire fotos quando/onde é proibido e mantenha um comportamento cuidadoso, poderá desfrutar do festival. Procure não falar ao telefone, usar bastão para tirar selfies, ouvir música com fones nos ouvidos ou obstruir a vista para as crianças pequenas. Tenha em conta que é um evento de família e que apesar da azáfama há uma componente sagrada a decorrer.

Como chegar

2 Chome-9-89 Sumiyoshi, Sumiyoshi-ku, Ōsaka-shi, Ōsaka-fu 558-0045, Japão

Este artigo foi útil?

Sugerir uma alteração

159
0
Ines Matos

Ines Matos @ines.matos

Portuguese free spirit with an acute passion towards Japan. Long time japanese language terrible student. Part-time photographer with incredible luck in finding people willing to exhibit my Japan-themed pictures. Owner of a piece of paper that states I'm an art-historian, post-graduate on namban-art and Portugal-Japan heritage and some other aparently boring stuff. But I do like art and culture... it alows me to know people and places deeply and experience the limits of perception and belief. My proudest achievement is the non-profitable project I've created and have run for some years, connecting Portugal and Japan with news, activities aiming students and teachers, workshops, conferences, etc.  Non-fictional books about Japan: "Um longo Verão no Japão" (A long Summer in Japan), "Geminação Cascais - Atami: história de uma amizade" (Twin cities Cascais and Atami: the story of a friendship), "Património de Cristianismo no Japão" (Intangible Cultural Heritage of Christianity in Japan), all of them in portuguese, two of them are a collection of essays atached to photography exhibitions. E-book free on www.clubotaku.com: "Japão: guia de sobrevivência" (Survivor Guide to Japan), also in portuguese. Several lectures and papers in english can be provided upon request. For video-conferences/on-line learning watch my youtube channel. These are the videos in english: 1- The velvet cape; 2 - Boats and bodies; 3 - Need a flag; 4 - southern point of view; 5 - Tales from within and beyond: the case of the Tanegashima gun - part I and II. https://www.youtube.com/channel/UCRQr5YwNF-VXhr6Gkycl-1A/videos?view_as=public soft spot in Japan: Kyushu and around...

Deixar um comentário

Back to Contents