Museu de Arte Fotográfica de Tóquio

Dois anos de grandes renovações mais tarde, o Museu TOP reabre

 Por Jerome Lee   06/10/2016

O Museu Metropolitano de Fotografia de Tóquio foi submetido a dois anos de grandes renovações, e reabriu finalmente as suas portas a 3 de setembro de 2016, com o novo nome de Museu de Arte Fotográfica de Tóquio (Museu TOP).

Com a ênfase de ser um museu de arte em Tóquio dedicando-se à fotografia e à imagem em movimento, o Museu de Arte Fotográfica de Tóquio foi chamado de 'Museu TOP' como alcunha, o que ajuda a uma fácil pronunciação em japonês e Inglês.

Em conjunto com a sua grande reabertura e as celebrações do 20º aniversário do museu, foram planeados eventos durante todo o ano de comemoração do 20º aniversário, que incluem eventos especiais, workshops e exposições que o público - tanto entusiastas da fotografia como amadores - pode participar e experimentar. O Museu TOP é facilmente distinguível ao entrar suas instalações - antes da entrada principal encontram-se enormes murais fotográficos a preto e branco por fotógrafos como Shoji Ueda. No primeiro andar estava o Maison ICHI, um pequeno restaurante/padaria com a sua principal filial em Daikanyama, e o Cinema do Museu TOP, onde serão projetadas estreias e filmes independentes que complementam a visão artística do museu. No segundo e terceiro andares ficam as principais galerias do museu, e a exposição de estreia realizada em conjunto com a grande reabertura do museu foi a cargo de nada mais nada menos que o internacionalmente aclamado fotógrafo japonês Hiroshi Sugimoto, cuja exposição Arquivo Genético Humano Perdido está atualmente em exibição, que decorre de 3 de setembro a 13 de novembro.

Sugimoto explicou o conceito por trás do Arquivo Genético Humano Perdido - uma exploração da "morte da humanidade e da civilização" que é documentada através de três corpos de trabalho: Arquivo Genético Humano Perdido, Teatro Abandonado (uma série de fotografias que documentam teatros abandonados na América), e Mar de Budas (imagens de relíquias de Buda que informam uma sensação de paraíso budista).

Outra exposição realizada ao mesmo tempo que o Arquivo Genético Humano Perdido é a World Press Photo 2016, que decorre de 3 de setembro a 23 de outubro deste ano. Com muitas exposições interessantes a chegar nos próximos meses, parece que o Museu TOP tem um futuro emocionante pela frente.

Escrito por Jerome Lee
Membro da JapanTravel
Traduzido por Andre Moreira

Junte-se à discussão