Templo Gokuraku e Passeio na Praia

Experimente um lado menos conhecido de Kamakura

 Por Steve Morton   02/05/2015

Presente em incontáveis publicações de turismo, a bela cidade de Kamakura é um destino inevitável para qualquer um. Também conhecida como a "pequena Nara de Kanto", Kamakura tem uma grande quantidade de atrações, incluindo 84 magníficos templos e santuários, excelentes trilhos para caminhadas e uma praia surpreendentemente bela.

Enquanto a maioria dos turistas visita os locais mais conhecidos, como o Grande Buda, existem muitas outras atracções culturais por perto, como o Templo Gokurakuji (極楽寺).

Linha Ferroviária de Enoden

Para chegar até aqui, pode apanhar o nostálgico comboio da Linha Enoden na estação de Kamakura, demorando cerca de 10 minutos e com um custo de 220 ienes.

Quando sair da Estação de Gokurakuji, vai ser provavelmente surpreendido pelas invulgarmente grandes multidões de pessoas nesta agradável, mas supostamente pouco popular área. Esta situação poderá ser explicada pelo facto de a novela japonesa "Saigo kara niban-me no koi" ter sido aqui filmada, tendo gerado uma espécie de culto seguido por muitos locais. Veja o poster afixado na bilheteira!

Templo Gokurakuji

A partir daqui, basta andar uns 2 minutos para o Gokurakuji, um pequeno, mas belo templo situado num lugar calmo e rodeado por uma densa vegetação. Provavelmente, irá ficar surpreendido com o telhado de colmo, um tipo de estrutura pouco utilizada noutros templos.

Quando passear pelos jardins do templo, poderá observar coloridas flores e várias estátuas de interesse, incluindo uma representação em pedra dos mundialmente famosos "Três Macacos Sábios".

Apesar do seu tamanho modesto, o Gokurakuji teria mais de 800 m de largura. Construído em 1259, o templo tornou-se famoso por fazer renascer o Budismo em Kamakura, durante o século XIII.

Mais concretamente, o seu sacerdote fundador, Ryokando Ninsho (1217-1303), foi reconhecido por ter ajudado mais de 60 mil doentes de lepra ao construir instalações de tratamento. Curiosamente, a discriminação contra os leprosos no Japão, que durou longos séculos, apenas foi criminalizada em 1999.

Embora seja popular entre muitos japoneses, o Gokurakuji continua a ser um local tranquilo e agradável para visita. Felizmente, eu tive sorte nesta ocasião e pude observar muitas hortênsias que embelezavam os jardins, já por si lindos.

Templo Jojuin

Localizado a vários metros do Gokurakuji, para o lado direito da estrada principal, há umas longas escadas (108 degraus, na verdade), marcando a aproximação ao Templo Jojuin (成就院).

Quando alcançar o topo destas escadas, verá a entrada do templo à sua direita. À semelhança do Gokurakuji, o Jojuin é também caracterizado por uma decoração elaborada do portal em madeira, estando rodeado por uma rica vegetação.

Fundado em 1219 por Yasutoki Hojo (o efectivo Shogunato de Kamakura), Jojuin foi construído principalmente para trazer boa sorte e proteger o clã Hojo, que estava no poder, durante o período de guerra. Com efeito, o "Fudo Myou" (divindade guardiã no Budismo) encontra-se aqui consagrado. Contudo, ironicamente, nem a benção de um "deus" conseguiu proteger o clã Hojo da sua destruição em 1333, pelas forças invasoras de Nitta Yoshisada.

Ao entrar no pátio principal, irá encontrar um jardim impecavelmente tratado, com numerosas flores coloridas e impressionantes estátuas, incluindo um "Fudo Myou" um pouco assustador, juntamente com uma grande estátua do Mestre Budista japonês denominado "Kukai".

Ao sair deste templo, poderá ver subitamente algo mais espectacular, um longo caminho direito que desce em direção à Baía de Yugahama, rodeada por fileiras de árvores coloridas. Embora impressionantes nas melhores épocas, formam uma paisagem especialmente bela durante o mês de junho, quando centenas de hortênsias entram em floração.

Na parte inferior da encosta, há um pequeno templo à esquerda, decorado com vários estandartes brancos.

Conhecido como o Templo Kokuzo-do, na verdade, constitui parte integrante do Jojuin. Não obstante, é um local interessante para visitar, com dois grandes dragões guardando a entrada para o pequeno, mas pitoresco pátio.

Praia de Yugahama

Continuando ao longo da estrada principal por mais alguns minutos, chegamos ao destino final, a praia de Yugahama. Embora não rivalize com outras praias como as de Okinawa, é um bom spot para relaxar, passeando à beira-mar, ou bebendo um copo num dos bares populares.

Se se sentir ainda com energia, poderá, no final do dia, fazer um passeio de volta a Kamakura, pela rua "Wakamiya Ooji" (若宮大路), que tem um conjunto de interessantes lojas e cafés. Em alternativa, pode apanhar o comboio na Linha Enoden para voltar a Kamakura, a partir da Estação de Hase (長谷駅), localizada a menos de cinco minutos a pé da praia.

Seja qual for a opção que escolha para terminar o seu dia, é garantido que irá desfrutar de um passeio agradável, que permitirá experimentar um lado de Kamakura pouco conhecido pelos turistas estrangeiros.

Escrito por Steve Morton
Membro da JapanTravel
Traduzido por Diana Nukushina

Junte-se à discussão