Quioto de Bicicleta em 2020

Governo municipal quer reduzir as emissões de carbono

Por Claire Rieuneau   

Para turistas e residentes de longo prazo, andar de bicicleta é uma forma muito boa de se deslocar em Quioto, para descobrir novos locais, ou mesmo para ir para o trabalho. Boas notícias, pois o Governo Municipal de Quioto anunciou um projeto para facilitar acessos a turistas e reduzir as emissões de carbono nos próximos 5 anos. O plano passa por criar pistas e parques de estacionamento para bicicletas, assim como tours de bicicleta pela cidade até 2020.

Os turistas são o principal alvo deste projeto, não só para lhes permitir desfrutar mais da cidade, mas também para assegurar a sua segurança e facilitar o seu deslocamento.

Em Tóquio, o governo já tenta facilitar a vida de quem quer usar bicicleta, mas as ligações entre comboios, autocarros e bicicletas ainda não é boa o suficiente. Hoje, as maiores cidades japonesas tencionam melhorar os seus sistemas de transporte para tornar o ciclismo uma opção mais fácil para todos.

Mais informação

Japan Times

Este artigo foi útil?

Sugerir uma alteração

0
0
Andre Moreira

Andre Moreira @andre.moreira

Born in the Portuguese countryside in 1990, I've been living in Japan since 2012. After finishing my Computer Engineering University Course in Lisbon, Portugal, I decided to study Japanese in Tokyo, with the purpose of continuing my studies there. After one year of studying of the language, I entered a Japanese Professional College where I finished my study in 2015. I am now working in a videogame Japanese company as Motion Designer. I also write in my blog about Japan. My goal is to introduce Japan to anyone who is interested in the culture, the language, the music, the anime, the food, and so on. And that's what you can find there: everything! Plus, my experience here as a Portuguese expat. You can access through this link: The Rising Sky Blog Should you have some questions on how to come to Japan, what to do, where to study, etc., feel free to contact me!

Original por Claire Rieuneau

Deixar um comentário