Terramotos de Kumamoto

Fortes terramotos causam danos significativos no centro de Kyushu

 Por Mandy Bartok   21/04/2016

Na noite de 14 de abril, um terramoto atingiu a periferia da grande cidade de Kumamoto na prefeitura de Kumamoto, na ilha de Kyushu. Embora a magnitude do sismo ter sido medida em 6.4, a intensidade foi registada em 7, o nível mais alto na escala japonesa, que só foi sentido noutros quatro terramotos na história recente do Japão. Pouco tempo depois, nas primeiras horas da manhã de 16 de abril, um segundo sismo com uma magnitude de 7.1 atingiu a mesma área, levando a inúmeras réplicas e causando danos por toda a região, especialmente nas estruturas que já tinham sido enfraquecidas pelo sismo inicial.

A força dos terramotos resultou na interrupção de várias ligações de transporte no interior e na periferia da prefeitura de Kumamoto. A 20 de abril de 2016, o Kyushu (Sakura) shinkansen suspendeu o serviço de Hakata para Shin-Minamata, devido ao descarrilamento de um comboio resultante do terramoto. Muitos serviços de comboios locais em Kumamoto foram suspensos ou estão a executar operações limitadas. O aeroporto de Kumamoto sofreu alguns danos no edifício do seu terminal, mas retomou os voos a 19 de abril. A autoestrada de Kyushu está fechada entre Ueki IC e Yatsushiro IC, assim como no trecho entre Yufuin IC e Beppu IC. Muitos dos serviços de autocarros expressos que passam por Kyushu também estão suspensos.

Várias estruturas históricas de Kumamoto foram enfraquecidas ou destruídas nos dois desastres. As paredes do castelo de Kumamoto desmoronaram em algumas secções. A torre principal continua de pé, mas perdeu um grande número de telhas e sofreu danos significativos. O salão principal e o Portão Romon (um tesouro do património cultural) do Santuário Aso na cidade Aso desmoronaram. Um enorme deslizamento de terra varreu por completo a ponte Aso Ohashi e partes da linha ferroviária que liga Kumamoto a Aso. Vários outros deslizamentos de terra tornaram muitas das estradas secundárias em torno da área de Aso intransitáveis.

As equipas de salvamento, voluntários e funcionários do governo têm trabalhado arduamente para restaurar os serviços básicos da região afetada.

Além da prefeitura de Kumamoto e de partes da prefeitura de Oita, grande parte de Kyushu permanece inalterada pelos sismos e todas as ligações de transporte e serviços turísticos estão a funcionar normalmente.

Fonte: JMA

Escrito por Mandy Bartok
Parceiro da JapanTravel
Traduzido por Andre Moreira

Junte-se à discussão