Surpreendente Museu de Indústria e Tecnologia

Desde os primeiros engenhos de fiação aos robôs do século XXI

Por Ines Matos   02/06/2018

Nagoya é uma das grandes cidades do Japão que os turistas geralmente ignoram por completo. Contudo, não só não é nada desprovida de encantos como até nos oferece experiências mesmo muito boas, sobretudo se estamos interessados num verdadeiro mergulho no dia-a-dia nipónico. Nagoya tem ainda a particularidade de ser a metrópole que congrega várias cidades menores com pendor industrial, nas quais residem muitos japoneses-brasileiros, e por isso a língua portuguesa marca presença nas coisas mais simples da sua vida: avisos nos transportes públicos, anúncios nas paredes públicas, brochuras de publicidade, etc.

Tendo um dos maiores portos do Japão (a par de Tóquio, Osaka, Kobe, e outros mais conhecidos), sendo a capital da prefeitura de Aichi e uma das maiores áreas metropolitanas do país, não é de admirar que na história do crescimento de Nagoya figurem os nomes de algumas das empresas mais significativas do Japão, nomeadamente a Toyota. Com efeito, esta empresa investiu em Nagoya também do ponto de vista cultural, pois dotou a cidade de um dos museus mais bem conceituados de todo o arquipélago nipónico, museu esse que é sempre colocado no TOP 10 de todos os museus do país. Estamos a falar do Museu Comemorativo da Indústria e Tecnologia.

Este museu enorme, multifacetado e tão fácil de aceder a partir da estação central multimodal, proporciona um programa perfeito para quem tem curiosidade sobre o desenvolvimento das indústrias e tecnologias do Japão, quer só, quer acompanhado de família e amigos. O carácter experimental e demonstrativo de vários dos seus núcleos de exposição, e a preocupação em trazer o mais possível para a experiência do visitante sobre a realidade do desenvolvimento da indústria, tornam este museu perfeito para quem viaja com crianças e adolescentes.

O bilhete do Museu (ou melhor, do complexo) tem um preço de apenas 500 ienes (aproximadamente 5 euros) para os adultos, 300 ienes (aproximadamente 3 euros) para adolescentes que frequentam a escola do 6º até ao 12º ano, 200 ienes (aproximadamente 2 euros) para crianças dos 6 aos 12 anos, sendo gratuito para idosos com mais de 65 anos, pessoas com deficiência e respectivo acompanhante. O custo do audioguia, o qual está disponível em várias línguas, não está incluído nestes valores, contudo não é muito dispendioso e pode ser usado apenas por uma pessoa no grupo (desde que depois vá traduzindo/explicando com discrição aos outros membros do grupo). Pode visitar de terça-feira a domingo, visto que encerra nas segundas-feiras. O horário de visita é das 9:30h às 17:00h, sendo recomendável que não dê entrada depois das 15h, já que o Museu é muito grande e isso não lhe daria tempo de ver quase nada. Pode perfeitamente planear um dia quase completo neste museu já que dentro do complexo existe um restaurante com refeições de estilo japonês tradicional, nutritivas e a baixo preço; bem como todo o tipo de comodidades: wc, zona de repouso, jardim e pátio, etc. Se estiver de visita a Nagoya ou nas imediações e estiver a chover, esta é uma excelente alternativa aos programas de ar livre.

Como chegar

1-35, Noritake Shinmachi 4-chome, Nishi-ku, Nagoya 451-0051 Japan

Escrito por Ines Matos
Membro da JapanTravel

Deixar um comentário