Um Jardim Maravilhoso para Toda a Família

Viagem de teleférico, flores lindas e uma vista deslumbrante, que mais pode querer?

Por Ines Matos   23/11/2018

Fechei os olhos virada para o sol para absorver ainda melhor o aroma das flores. Estava num campo cheio de cosmos, a flor que abunda no Outono, mas que é tão leve e colorida que mais parece uma flor primaveril. Pelas minhas narinas entrava também o aroma do roseiral e notas das ervas aromáticas do canteiro ao lado. O calor do sol era como um cobertor sobre mim, e sentia-me profundamente feliz. "Vou tirar-te uma foto!" disse-me a minha amiga. Assim que abri os olhos vi que ela estava a posicionar o smartphone na minha direcção, por isso acenei com ambas as mãos, como que dizendo "olá" aos meus amigos que iriam ver a foto. O meu sorriso captou a genuína felicidade de quem se sente mergulhado num paraíso florido. Você também vai sentir-se assim quando visitar este lugar!

O Jardim Nunobiki, que nas brochuras em inglês costuma aparecer como "Jardim Botânico" é qualquer coisa difícil de descrever, porque a experiência de o visitar decididamente não é nada parecida com a visita a um Jardim Botânico típico. Em primeiro lugar temos o factor da localização: o Nunobiki está no topo de um monte e o acesso preferencial é por teleférico; depois a designação em si não o descreve bem: não é tecnicamente um Jardim Botânico, embora tenha em si várias espécies de flores e ervas aromáticas do mundo todo, e uma grande oferta de produtos feitos à base dessas ervas também; e por fim existe o factor de toda a atmosfera do lugar, e das experiências que ali pode ter, as quais ultrapassam largamente as de um simples passeio num jardim botânico.

Mas comecemos pelo princípio... Como é que se vai lá ter?

A maneira mais simples será descrever-lhe o acesso a partir da estação de Shin-Kobe. Aliás, se estiver a fazer o percurso entre Osaka e Hiroshima pode bem sair do shinkansen aqui e aproveitar para visitar antes de retomar o percurso. A estação de Shin-Kobe tem a ela anexada uma superfície comercial, como aliás é comum nas estações do Japão. Nem sequer se nota bem onde acaba a estação e começa o centro comercial, já que uma simples porta de vidro dá continuidade entre eles, por isso quando sair do comboio encaminhe-se para as lojas, passe através dos corredores comerciais e siga as setas que entretanto lhe vão aparecer a indicar o "Jardim Botânico" ou "Nunobiki". Mesmo que não consiga ler em japonês irá identificar a sinalética pelas fotografias e grafismo. Na verdade há uma parte em que tem de sair para o ar livre e subir uma rampa, mas até no início da rampa está muito bem indicado que se trata do acesso ao teleférico para ir para o Jardim.

O teleférico custa aproximadamente 12 euros (ida e volta) e o bilhete já incluí a visita ao Jardim. Na estação de embarque há cacifos onde pode deixar a sua bagagem pesada, mesmo as malas maiores, e também há WC. Pode existir uma pequena fila para a aquisição de bilhetes e para embarque, sobretudo se for fim-de-semana ou feriado, mas não é o tipo de sítio onde tenha de esperar horas (como nas atracções de Quioto).

Desfrute da viagem de teleférico, que só em si já é fenomenal. Na verdade a montanha que vai "sobrevoar" foi celebrada por poetas e cantores, sendo um local de refúgio, inspiração, romance ou meditação. Irá passar até por cima de uma espectacular cascata! Observe com atenção, não vê as escadas e os vestígios de muros? Sim, antes do teleférico estes montes tinham de ser percorridos a pé para apreciar as vistas sobre Kobe. Ainda bem que agora pode ir confortavelmente sentado na cabine!

Existe uma estação intermédia, na qual não deve sair da cabine. Aproveite para subir até ao topo e depois desça a pé pelo jardim até à estação intermédia.

Uma vez chegado ao topo, irá sair para um planalto muito bem arranjado como se fosse uma praça de uma vila nos Alpes. Isso mesmo, os edifícios, a esplanada e os bancos de jardim dão a impressão de se localizar algures no centro da Europa, há um certo mimetismo dessa iconografia, o que não é assim tão surpreendente considerando a história de Kobe e mesmo as plantas que aqui se cultivam. No edifício à beira desta praça, para além de uma lindíssima torre de relógio, tem um auditório, e um pouco mais abaixo há uma estufa (que pode visitar em Março). Neste Jardim também há um museu das fragrâncias e uma grande loja de produtos feitos à base de plantas para a sua saúde e o embelezamento do seu lar. Dependendo da estação do ano, o café e a esplanada estarão a servir gelados, ou cervejas (Octoberfest) ou chás com especiarias (Outono) ou qualquer outra delícia.

Não deixe de olhar com atenção para a vista sobre o porto de Kobe, que é aliás o ponto forte deste planalto. Se optar por uma visita nocturna pode até apreciar as luzes da cidade e dos barcos.

O caminho que serpenteia pelo Jardim abaixo é maravilhoso! Irá passar por vários canteiros e zonas diferentes, os quais vão mudando muito ao longo do ano, por isso nunca se aborrece se visitar múltiplas vezes. Há bancos para descansar, recantos especialmente arranjados para convidar à fotografia, coretos, árvores de sombra, etc. Se viaja com crianças calculo que seja difícil fazer este percurso rapidamente, porque os mais pequenos vão encontrar mil e uma razões para protelar a partida. Mas tome atenção que não colhem flores nem arrancam nada.

Se quiser descer ainda mais do que a estação intermédia do teleférico pode fazê-lo, e nesse caso há ainda mais jardim para ver e também uma zona onde pode espreguiçar-se em camas de rede e dormir uma soneca ao sol. Não acredita? Verdade! Aqui é para descansar mesmo, banhar-se nas boas vibrações da Natureza.

Pode consultar previamente a agenda cultural do Nunobiki já que existem frequentemente eventos musicais ou festivais de flores e de produtos à base de plantas, e assim fazer coincidir a sua visita com o ambiente animado dos eventos. Mas mesmo que visite num dia de semana simplesmente para conversar e passear com um amigo, terá uma óptima experiência também.

Como chegar

Yamagōri-1-4-3 Kitanocho, Chūō-ku, Kōbe-shi, Hyōgo-ken 650-0002, Japão

Was this article helpful?

Reportar erros

0
0
Ines Matos

Ines Matos @Ines Matos

Portuguese free spirit with an acute passion towards Japan. Long time japanese language terrible student. Part-time photographer with incredible luck in finding people willing to exhibit my Japan-themed pictures. Owner of a piece of paper that states I'm an art-historian, post-graduate on namban-art and Portugal-Japan heritage and some other aparently boring stuff. But I do like art and culture... it alows me to know people and places deeply and experience the limits of perception and belief. My proudest achievement is the non-profitable project I've created and have run for some years, connecting Portugal and Japan with news, activities aiming students and teachers, workshops, conferences, etc.  Non-fictional books about Japan: "Um longo Verão no Japão" (A long Summer in Japan), "Geminação Cascais - Atami: história de uma amizade" (Twin cities Cascais and Atami: the story of a friendship), "Património de Cristianismo no Japão" (Intangible Cultural Heritage of Christianity in Japan), all of them in portuguese, two of them are a collection of essays atached to photography exhibitions. E-book free on www.clubotaku.com: "Japão: guia de sobrevivência" (Survivor Guide to Japan), also in portuguese. Several lectures and papers in english can be provided upon request. For video-conferences/on-line learning watch my youtube channel. These are the videos in english: 1- The velvet cape; 2 - Boats and bodies; 3 - Need a flag; 4 - southern point of view; 5 - Tales from within and beyond: the case of the Tanegashima gun - part I and II. https://www.youtube.com/channel/UCRQr5YwNF-VXhr6Gkycl-1A/videos?view_as=public soft spot in Japan: Kyushu and around...

Deixar um comentário