Photo: Kazuhiko Watanabe

Obi - a "Quioto de Kyushu"

Dois dias nesta pitoresca localidade histórica não o vão desiludir

Photo: Kazuhiko Watanabe
Por Iain Stanley   

Considerada por muitos como o berço da civilização japonesa, a prefeitura de Miyazaki - na parte sudeste de Kyushu - é um lugar maravilhoso cheio de locais significativamente históricos. Uma das mais belas e visualmente atractivas é a localidade de Obi, situada na cidade de Nichinan. Rotulada como a “Quioto de Kyushu”, é muito popular entre turistas e viajantes locais por um bom motivo. Existe uma variedade de actividades e experiências para fazer na localidade de Obi e nos seus arredores, e uma viagem ao fim-de-semana é uma oportunidade perfeita para aproveitá-las.

Os jardins do Castelo de Obi
Os jardins do Castelo de Obi (Photo: Iain Stanley)

Dia 1

Se estiver a viajar a partir da cidade de Miyazaki (ou a partir de qualquer lugar a norte de Obi), deve seguir pela Rota 220 em direcção à localidade de Obi. Esta estrada pela costa abraça o oceano por longas extensões e oferece-lhe vistas espectaculares enquanto segue o seu caminho para sul. Desde a cidade de Miyazaki, a viagem demora cerca de uma hora, e desde a popular localidade litoral de Aoshima, demora cerca de 40 minutos. Se preferir, também pode ir por uma estrada pelas montanhas, mas eu recomendo fortemente a rota costeira. A estrada para Obi está claramente assinalada e é fácil de seguir.

Se chegar a Obi por volta do meio-dia, é o momento perfeito para almoçar num dos muitos e deslumbrantes restaurantes que ficam nas sombras do castelo. Um dos restaurante que recomendo vivamente é o Hattori Tei. Não só a comida é fantástica, mas a decoração no interior do restaurante, os quartos tradicionais e os jardins circundantes, só por si, são uma grande atracção.

Para o meu almoço, escolhi o “prato do dia”, e por um valor incrível. Por apenas ¥1620, foi um festim. O prato principal era arroz tradicional e vinha acompanhado de todo tipo de petiscos saborosos. Gostei muito da variedade. O sashimi era suculento e fresco, pescado em Aburatsu. E para quem gosta de doces, a sobremesa foi igualmente agradável. Era delicada e saborosa, apresentada numa xícara de chá verde e decorações subtis.

O belo almoço e os jardins bem cuidados do restaurante Hattori Tei
O belo almoço e os jardins bem cuidados do restaurante Hattori Tei (Photo: Iain Stanley)

Após terminar o almoço, pode andar pelos terrenos surpreendentemente grandes do restaurante. Nas traseiras há um jardim deslumbrante que oferece um ambiente tranquilo e uma boa oportunidade para esticar as pernas e apanhar ar fresco. Para os fotógrafos, existem infinitas oportunidades para tirar fotografias que enquadram a sensação tradicional deste restaurante e o seu ambiente. Quando se anda em silêncio, quase se pode imaginar que alguém está a tocar shamisen ou koto no fundo.

As ruas e riquexós em estilo antigo na localidade de Obi
As ruas e riquexós em estilo antigo na localidade de Obi (Photo: Iain Stanley)

Depois de almoçar, é o momento ideal para ir até uma das principais atracções de Obi - o Castelo de Obi. É uma caminhada muito curta, mas se estiver a sentir-se aventureiro, ou a querer absorver o máximo de tradições possível, pode ser levado até à entrada do castelo por um riquexó de estilo antigo, transportado por um condutor em trajes tradicionais. A maioria das estruturas do castelo remonta aos anos 1400, apesar de o trabalho de restauração ter sido feito na década de 1970. O castelo tem uma grande importância na história do Japão, e pode facilmente ler sobre o mesmo nos panfletos fornecidos (em várias línguas) ou pelos jardins do castelo.

O que eu mais gostei no castelo foram os espaços grandes e abertos para passear, mergulhar na atmosfera e respirar o ar puro e fresco. O castelo está repleto de belas árvores verdes, bem como flores, e na estação certa (em inícios de abril), flores de cerejeira. Existe uma área que parece retirada de um filme de Miyazaki Hayao, como a Princesa Mononoke ou algo do género. Quando lá estávamos, vimos várias raparigas do ensino secundário que tinham descido até ao castelo para fazer cosplay. As árvores altas e a atmosfera enevoada e fresca proporcionavam óptimos locais para piqueniques ou, para crianças e pais, para brincar um pouco às escondidas. Eu podia estar sentado durante horas sob as árvores magníficas e apenas ler um livro.

Para as pessoas interessadas no papel histórico que o Castelo de Obi desempenhou no passado samurai do Japão, existe uma série de edifícios e pequenos museus que fornecem todas as respostas. Pode ver o que os samurais costumavam vestir, as ferramentas que usavam, as cozinhas onde cozinhavam e as saunas quentes que usavam para se lavar. É muito interessante e dá uma noção real da importância que o castelo tinha. Pode facilmente passar algumas horas apenas andando pelos jardins do castelo, apreciando a serenidade. Para terminar, acho que todos deveriam divertir-se a experimentar o tiro ao alvo com um arco e flecha tradicionais. Por ¥300, pode atirar 10 flechas com um arco antigo. É surpreendentemente fácil de aprender e divertido para todas as idades. Tenha cuidado, Robin dos Bosques!!

Depois de terminar a visita pelo castelo, pode passear pelas ruas desertas da localidade de Obi e encontrar um café para descansar. Há muitos ao longo das ruas e todos oferecem chás de vários sabores, assim como café e aperitivos. Também existem várias galerias que pode visitar. Gostei da galeria Kodama. Possui dois andares e está repleta de artesanato e bugigangas feitas à mão. Sem falar no chocolate natural que vendem por lá. Como sabiam eles que eu era um amante de chocolate?! Descanse, relaxe, coma chocolate e aprecie os sorrisos dos habitantes locais que vão passando.

Quando estiver a terminar o descanso da tarde, será hora de ir para o seu hotel e fazer o check-in. Ficámos num alojamento de estilo tradicional japonês que se situava apenas a poucos metros do castelo. Era limpo, espaçoso, barato e bem equipado com TV, utensílios de cozinha, futons, toalhas e artigos de casa de banho. Relaxámos aí quase durante uma hora, dormimos uma soneca, depois de carregadas as nossas baterias, preparámos-nos para jantar num izakaya local.

Há qualquer coisa de fantástico em jantar num izakaya. Ao contrário de um restaurante tradicional, onde normalmente se pede uma entrada única e o prato principal, nos izakayas pede-se o máximo de pequenos pratos do menu que se consegue. Eles vêm a uma velocidade vertiginosa e uma pessoa apenas come, fala, ri e bebe um néctar à sua escolha. Para mim, foi uma cerveja gelada ao final de um lindo dia. O ambiente é óptimo e pode ouvir os habitantes locais e outros visitantes mostrando a alegria de passar algum tempo na localidade de Obi. Depois de terminar, há apenas uma última coisa a fazer - tirar fotos das carpas nos pequenos canais nas beiras de algumas ruas. Elas são lindamente coloridas e não são tímidas em fazer-nos sentir a sua presença. Qual poderia ser a melhor forma de terminar o dia do que a observar as carpas a nadar sob as luzes do Castelo de Obi?

Dia 2

Os campos de arroz e canteiros de flores de Sakamoto Tanada
Os campos de arroz e canteiros de flores de Sakamoto Tanada (Photo: Iain Stanley)

Com um dia inteiro pela frente, há muitas coisas para apreciar na localidade de Obi. A cerca de 15 minutos de carro a oeste de Obi, num local chamado de Sakamato Tanada, existem alguns campos de arroz incrivelmente bem cuidados para apreciar. O caminho em si é bom, enquanto serpenteia por estradas estreitas de montanha e deslumbrantes vales verdejantes. Existem dois locais para acampar, dependendo da paisagem que deseja apreciar. Sugiro que visite os dois. Para ver os campos de arroz nas suas resplandecentes camadas verdes, deverá ir entre julho e setembro. Precisa de conduzir pela montanha, e no fim encontrará um estacionamento. Está bem visível, por isso é impossível perder-se. Pode subir uma torre de observação em madeira e apreciar o que existe de melhor na agricultura. Noutras alturas do ano, como por exemplo em abril, haverá um caleidoscópio de flores em vez de arroz. Nesta época do ano, pode preferir ir directamente para o campo e brincar no meio da flora. Este é o passatempo preferido por casais e pais que querem tirar fotos dos seus filhos absorvidos por campos de flores.

Depois de parar e ver as flores e os arrozais, o seu apetite deve estar no ponto para o almoço. Nós regressámos à localidade de Obi e de facto voltámos à Galeria Kodama. Não tinha percebido que o espaço era tão grande mas era o mesmo lugar onde tinha saboreado o meu chocolate no dia anterior. Mais uma vez, não fiquei desiludido. Como australiano, adoro os meus churrascos, e mesmo que este não tenha sido um almoço de churrasco no seu sentido tradicional, pude colocar o meu peixe num pequeno fogão. Bem como quase todos os restaurantes na localidade de Obi, este também estava bem decorado, bem mobilado cheio de berloques únicos e interessantes para ver ou comprar, e também algumas vistas maravilhosas e pacíficas.

O que me continuava a surpreender sobre o meu fim de semana em Obi era como tudo era barato. Mais uma vez, tive que verificar novamente quando a conta me foi apresentada. Para um banquete absoluto que consistia em todos os tipos de delícias culinárias, o preço era de uns simples ¥1300 por pessoa. Tudo isto para três menus e com direito a reabastecer o chá verde as vezes que quisesse. Se está com orçamento limitado ou acostumado a almoços com preços mais altos nas cidades maiores, a localidade de Obi será uma surpresa maravilhosa.

A última paragem nesta viagem de dois dias em Obi/Nichinan foi a mais doce de todas. Se visitar entre os meses de janeiro e maio, então tem absolutamente de ir a uma fazenda local de morango. Porquê? Bem, pode comer a quantidade de morangos que quiser, e até levar quantos quiser para casa!! Esta fazenda de morango permite que faça "tabehodai" (tudo o que conseguir comer) de morangos. Mas não só isso, pode realmente caminhar entre os morangos e escolhê-los sozinho. Acho que comi mais enquanto estava à "procura" do que depois de ter "colhido"! Adoro morangos e este foi um banquete que nunca terminou. E se quiser algo realmente doce, também pode comprar gelado de morango.

Termine a sua viagem com um banquete de todos os morangos que conseguir comer
Termine a sua viagem com um banquete de todos os morangos que conseguir comer (Photo: Iain Stanley)

Como muitas coisas na vida, se passar algum tempo a tentar realmente conhecer algo, encontrará coisas em que a maioria das pessoas nunca terá oportunidade de ver. E assim é com a localidade de Obi. A maioria das pessoas conduz até ao castelo, passa cerca de uma hora a caminhar pelos magníficos jardins do castelo, e depois volta para o carro e vai-se embora. Mas se usar mais alguns dias, haverá muitas coisas para ver e desfrutar. E os habitantes locais são pessoas do mais charmoso e aberto que conheci no Japão. Claro, o Castelo de Obi é a melhor e mais notável desta "Quioto em Kyushu", mas se seguir este plano, ou se fizer o seu próprio plano, então os dois dias que passar aqui certamente serão das mais memoráveis das suas viagens.

Mais informação

Descubra mais sobre Obi Castle

Este artigo foi útil?

Sugerir uma alteração

0
0
Antonio Sousa

Antonio Sousa @antonio.sousa

Original por Iain Stanley

Deixar um comentário