Universal Studios em Osaka

Porque não ser criança por um dia?

Por Franki Webb   

Nunca fui pessoa de parques temáticos da Disney. Fui à Disneyland Paris quando era criança e depois à Disneyland e Disneysea em Tóquio quando aqui cheguei como estudante de intercâmbio. Foi com certeza divertido, mas nunca fiquei maluca com a fofura do Mickey e do Donald como ficaram as minhas amigas japonesas. Por isso quando a minha amiga sugeriu que eu fosse com ela ao Universal Studios em Osaka, decidi agarrar a oportunidade.

O Universal Studios Japan é uma obra-prima em termos de entretenimento e ambiente. Tem tudo, atrações assustadoras, espetáculos 3D, e mascotes engraçadas. No entanto, ao contrário dos personagens da Disney, tirar uma foto com o seu favorito é surpreendentemente fácil.

O parque está dividido em diferentes áreas com base numa seleção de diferentes filmes, incluindo o Parque Jurássico, Tubarões, Regresso ao Futuro e Homem-Aranha. Para aqueles de nós que cresceram nos anos 80/90, trata-se de uma revisita nostálgica à nossa infância, mas também é uma experiência japonesa única, com atrações e mascotes criadas especificamente para o Japão. A nova adição ao elenco da Rua Sésamo do USJ é o pequeno e adorável personagem, Moppy. A atração do Snoopy também apenas existe no Japão, e estes extras fazem a visita valer a pena, mesmo que já tenha ido às versões americanas.

Devo admitir que é um pouco estranho ouvir Peter Parker, Arnie e Doc a falarem japonês, mas de forma alguma tirou o divertimento às atrações. A maioria dos sinais espalhados pelo parque e no interior das atrações estão escritos em inglês, como o escritório de Daily Bugle com as palavras inspiradoras de J. Jonah Jameson cravadas em muitas das paredes, o que me fez acreditar que muitos visitantes japoneses perdem muitos dos detalhes do parque.

O ambiente fá-lo sentir-se num filme com impressionantes cenários de Hollywood, Nova Iorque, São Francisco, e música de The Script, One Republic, The Fray e outras bandas reconhecidas a ser tocada no fundo, e dará por si a cantarolar enquanto está nas filas à espera.

A principal montanha-russa do parque, Hollywood Dream, tem uma característica musical interessante, em que os que procuram mais emoção podem escolher a música que ouvem durante as voltas da atração. Pode dizer-se que o parque podia ter mais algumas montanhas-russas grandes, já que a maioria das atrações, apesar de serem emocionantes, são dentro de casa, pelo que muito do ambiente do parque não é aproveitado pois passa a maior parte do tempo em longas filas dentro de casa.

O parque tem uma abundante seleção de restaurantes e cafés, incluindo uma recriação realística de Mel's Diner no filme American Graffite. Cada zona tem lojas e bancas de comida únicas que estão relacionadas com atrações e locais individuais. Quando vagueia pelo parque, tudo parece ser artificial, mas é fácil sentir-se como uma criança perdida no meio da fantasia, e por um dia, porque não?

Este artigo foi útil?

Sugerir uma alteração

0
0
Andre Moreira

Andre Moreira @andre.moreira

Born in the Portuguese countryside in 1990, I've been living in Japan since 2012. After finishing my Computer Engineering University Course in Lisbon, Portugal, I decided to study Japanese in Tokyo, with the purpose of continuing my studies there. After one year of studying of the language, I entered a Japanese Professional College where I finished my study in 2015. I am now working in a videogame Japanese company as Motion Designer. I also write in my blog about Japan. My goal is to introduce Japan to anyone who is interested in the culture, the language, the music, the anime, the food, and so on. And that's what you can find there: everything! Plus, my experience here as a Portuguese expat. You can access through this link: The Rising Sky Blog Should you have some questions on how to come to Japan, what to do, where to study, etc., feel free to contact me!

Original por Franki Webb

Deixar um comentário