Miyajima, Paraíso na Terra

Aquela sensação de divino e sagrado sem explicação

Por Andre Moreira   04/08/2017

No passado mês de julho, visitei a famosa e bela ilha de Miyajima. E que bela. Este era um dos locais que mais queria visitar no Japão, numa lista repleta de locais místicos e sagrados que tenho vindo a construir ao longo do tempo.

Sendo considerada uma das três mais belas paisagens do Japão, juntamente com Matsushima e Amanohashidate, não é estranho querer visitar este local, mas não era a sua mera popularidade que me atraía.

Sempre adorei a os santuários japoneses, pela sua atmosfera tranquila, pela beleza das suas construções, pela união tão próxima que mantêm com a natureza, pela sensação de pisar um outro mundo, uma outra dimensão assim que se atravessa o torii para o outro lado. E o santuário de Itsukushima, situado nesta ilha, é para mim um dos expoentes máximos deste universo de mistério que é o xintoísmo.

Mais do que uma visita física, foi uma visita metafísica. Como se esta ilha fosse um oásis de paz neste mundo em guerra. Era fantástico ver o torii no meio do oceano. Uma entrada deveras invulgar para um santuário, e deveras imponente. Nas marés mais baixas é possível caminhar até ao torii e tocá-lo. Na altura em que fui, nem a maré baixa estava muito baixa, nem a maré alta estava muito alta, pelo que me limitei a ficar "em terra", a apreciar o torii à distância, perdido nos pensamentos que vagueavam pela minha mente. É como se entrasse numa espécie de limbo, em que o mundo real deixa de fazer sentido. Aqui não há negativismo. Há apenas a paz interior de apreciar a natureza e a beleza da sua união com a humanidade e o divino. Não há como explicar estes conceitos. É tudo tão abstrato que todo este texto não passa de uma mera redundância de si mesmo.

Ficam as memórias, as fotografias, os vídeos, e o desejo de um dia voltar.

Escrito por Andre Moreira
Parceiro da JapanTravel

Deixar um comentário