Acampamento de Kamiwarizaki

A baleia, o deus, e a rocha

Por Andrew Kehoe   

Diz a lenda que uma baleira deu à costa em duas aldeias. A baleia foi um presente dos deuses pois poderia alimentar os habitantes por muito tempo, fornecer ossos para construir ferramentas e óleo para lâmpadas. No entanto, as aldeias de Tokura e Jusanhama tinham estado em longos desacordos sobre as suas fronteiras e a baleia apenas veio piorar o problema. Ninguém estava de acordo sobre a que aldeia a baleia tinha dado à costa. Uma vez que as duas aldeias não conseguiram chegar a um acordo sobre a baleia antes de o sol se pôr, eles concordaram em dormir sobre o assunto e iniciar as discussões novamente pela manhã.

Durante a noite, um enorme trovão ecoou por toda a região. Os aldeões de Tokura e Jusanhama foram a correr para ver o que tinha causado tal som. Para sua surpresa, uma enorme rocha no oceano estava rachada em duas. Os habitantes concordaram que este era um símbolo do juízo de Deus sobre a discórdia entre Tokura e Jusanhama. No final, as duas aldeias decidiram resolver as suas diferenças através do estabelecimento da fronteira com base na rocha quebrada e concordaram em dividir a baleia em duas.

Independentemente da veracidade da história, não há como negar o aparecimento desta enorme fenda na rocha. Kamiwarizaki pode ser traduzido como "quebrado por Deus". A formação rochosa kamiwari acima mencionada fica cerca de 10 minutos a pé do principal acampamento de Kamiwarizaki. Este é um lugar fantástico para montar a sua tenda. O acampamento fica a duas horas de caminho para nordeste a partir de Sendai, e é acessível a partir da autoestrada 398 que corre ao longo da costa até Shizugawa.

O horário de check-in varia com a estação. Está fechado às terças-feiras, e o horário de funcionamento é, de abril a novembro das 10:00 às 15:00, e de dezembro a março das 11:00 às 14:00. Os preços variam um pouco com base no que quiser exigir do acampamento, mas são a partir de ¥900. Depois, dependendo do que quiser fazer com o seu veículo, poderá aumentar o custo. Há um amplo estacionamento para automóveis, mas nalguns locais pode custar ¥3000. Há um restaurante na praça turística e o escritório principal fica junto à entrada. Várias pequenas cabanas de madeira estão numa colina virada para este. As cabanas podem ser alugadas em vez de usar uma tenda, e podem dormir até cinco pessoas, mas são apertadas e têm um custo de ¥5000. Se ainda assim preferir dormir na rua com apenas uma fina camada de nylon entre si e as estrelas, mas não tiver a sua própria tenda, poderá alugar uma no escritório principal por ¥1500.

Há muitos churrascos e zonas para lavagem de alimentos, bem como várias casas de banho públicas. Os chuveiros custam ¥200 por alguns minutos, mas eu preferiria ir ao Hotel Kanyo e usar a sua onsen. A vista a partir da área de acampamento principal também é excelente, olhando através dos pinheiros para este, e para o mar. A maioria dos parques de campismo estão situados num penhasco com uma clara vista para o oceano, mas longe o suficiente para que todos se sintam confortáveis.

Uma coisa que realmente separa o parque Kamiwarizaki de outros parques de campismo é o nascer do sol. Em certas épocas do ano em que o sol nasce por entre as rochas da formação rochosa Kamiwari. Mesmo que seja a época errada do ano para testemunhá-lo, este nascer do sol será algo que não vai esquecer. O Japão é muitas vezes referido como "o país do sol nascente" por alguma razão. Leve uma câmara e um tripé ou o seu tapete de ioga e fixe o olhar no horizonte, pois vem aí uma surpresa.

A principal área de acampamento fica no lado norte do cabo que separa Minamisanriku e Ishinomaki. Uma organização de Acampamentos da Terra usa o local muitas vezes, pelo que poderá ver um grupo de japoneses e estrangeiros de vez em quando. A formação rochosa que deu nome ao lugar, na verdade, fica do lado de Ishimomaki. Talvez haja alguma verdade nesta lenda...

Este artigo foi útil?

Sugerir uma alteração

13
0
Andre Moreira

Andre Moreira @andre.moreira

Born in the Portuguese countryside in 1990, I've been living in Japan since 2012. After finishing my Computer Engineering University Course in Lisbon, Portugal, I decided to study Japanese in Tokyo, and pursue my studies there. After one year of studying of the language, I entered a Japanese Professional College where I finished my studies in 2015. I am now working in the videogame industry as a Technical Artist.I love traveling in Japan and have been to a lot of places with my wife! There are still many spots on my list... Where should I go next?

Original por Andrew Kehoe

Deixar um comentário