Jardim Hojo do Tofuku-ji, Quioto

Desenhadores Proeminentes de Jardins 5- Shigemori Mirei

Por Tomoko Kamishima   28/03/2015

O Templo Tofuku-ji em Higashiyama vangloria o maior complexo de edifícios em Quioto. Demorou mais de 19 anos a concluir todas as instalações do templo, de 1236 a 1255. A área do templo abrange um rio, fazendo uso de três pontes. No outono, a vista das folhas coloridas atrai pessoas de todo o Japão. Todos se apressam à Ponte Tsuten-kyo para as ver. Mas eu gostaria de apresentar um belo local para desfrutar as folhas de outono, e um belo jardim japonês ao mesmo tempo, longe das multidões.

Rota

Se vier para a área do templo através do Portão Nio-mon, atravesse a Ponte Gaun-kyo e vire à esquerda. A maior parte das pessoas estarão à espera numa longa fila à entrada da Ponte Tsuten-kyo no outono. Em vez disso, passe por elas e caminhe diretamente para o Jardim Hojo. Existem quatro jardins secos em volta do edifício Hojo.

Um pequeno corredor/terraço de madeira está virado para um vale preenchido por árvores cobertas de fantásticas folhas vermelhas. No dia que visitei, a Ponte Tsuten-kyo estava lotada com centenas de pessoas, mas a partir deste terraço, podíamos levar o nosso tempo a ver a folhagem de outono num ambiente muito relaxado. Além disso, há quatro jardins aqui, todos num estilo japonês moderno.

Jardim Hojo

O desenhador e planeador deste jardim (que foi construído em 1939), Shigemori Mirei, chamou-os de 'jardins conceptuais com expressões abstratas'. O Jardim do Sul retrata um mundo baseado na Mitologia Chinesa: a areia branca em frente ao mar, quatro rochas como lendárias ilhas, e cinco outeiros representando cinco importantes templos Zen em Quioto ou na China. O Jardim Ocidental tem um padrão de xadrez com azáleas. Representa os campos de arroz. O Jardim do Norte retrata abstratamente a ideia de que o Budismo se difundiu da Índia para a Ásia Oriental: Padrões de xadrez cobertos de musgo ficam gradualmente verdes. O Jardim Oriental foi desenhado para representar a Ursa Maior com sete colunas de pedra. Nos rituais de Zen, os sacerdotes usam pequenas bacias para purificação. Todos os quatro jardins estão profundamente relacionados com o Budismo e o estilo de vida asiático, por isso as plantas, pedras, e areia nos jardins são-nos familiares. Mas as impressões que recebemos dos jardins são muito frescas, pois Mirei utilizou algumas ideias bastante criativas.

A aproximação de Shigemori Mirei ao design de jardins

O mais impressionante sobre os jardins de Mirei são as interessantes disposições de pedras e a organização de toda a área. São únicas e modernas. Ele dispôs as pedras como estátuas, plantou um padrão (campo de arroz) em xadrez, e desenhou esquemas gráficos em toda a zona. Ao contrário de outros desenhadores de jardins, ele rapidamente decidiu definir os locais e ângulos de um enorme número de pedras, nunca mudando essas disposições mais tarde, e sem deixar pedras de lado. Os trabalhadores gostavam imenso de trabalhar com Mirei, e conseguiam compreender imediatamente as suas breves instruções. Mirei escreveu sobre as disposições das pedras numa tese, dizendo: "Deus inspirou-me e eu segui essas ordens. Então, as pedras sentaram-se nos seus exatos locais, nos seus exatos ângulos." É isso. A sua aproximação ao design de jardins também foi mantida pela rica cultura da Arte dos Arranjos Florais.

Sobre esta série

Quioto foi a capital do Japão durante mais de 1000 anos (794-1867). É famosa pelos seus templos e jardins, que se separam em três tipos principais (apesar de alguns jardins conjugarem estilos). 1) Jardins secos usam rochas e areia para exprimir a água. São geralmente desenhados para serem apreciados a partir de uma sala. 2) Jardins de estilo excursão normalmente incluem um caminho em redor de um lago. Podemos desfrutar de diferentes vistas durante a caminhada. 3) Jardins de estilo abstrato são bastante modernos mas continuam a seguir algumas tradições de jardins.

O primeiro jardim em Quioto teve origem no Jardim Shinsen-en. Os jardins evoluíram por um longo período de tempo para os três estilos mencionados acima. Nesta série, gostaria de lhe apresentar alguns mestres de planeamento de jardins (jardineiros/arquitetos paisagísticos), e alguns dos deslumbrantes jardins japoneses que eles desenharam em Quioto.

1) Sacerdote Muso Soseki (1275-1351): Jardim Hojo de Tenryu-ji (Jardim de estilo excursão)

2) Kobori Enshu (1579-1647): Jardim Tsuru-Kame de Konchi-in (Jardim seco)

3) Ishikawa Jozan (1583-1672): Quinta Shisen-do (Jardim seco/Jardim de estilo excursão)

4) Ueji VII (1860-1933): Quinta Murin-an (Jardim de estilo excursão)

5) Shigemori Mirei (1896-1975): Jardim Hojo de Tofuku-ji (Jardim de estilo abstrato)

Se gostou desta série, também poderá gostar da minha outra série "Desfrute destes templos com belos corredores exteriores". Esta série apresenta quatro atraentes corredores e jardins de templos em Quioto.

Was this article helpful?

Reportar erros

0
0
Andre Moreira

Andre Moreira @Andre Moreira

Born in the Portuguese countryside in 1990, I've been living in Japan since 2012. After finishing my Computer Engineering University Course in Lisbon, Portugal, I decided to study Japanese in Tokyo, with the purpose of continuing my studies there. After one year of studying of the language, I entered a Japanese Professional College where I finished my study in 2015. I am now working in a videogame Japanese company as Motion Designer. I also write in my blog about Japan. My goal is to introduce Japan to anyone who is interested in the culture, the language, the music, the anime, the food, and so on. And that's what you can find there: everything! Plus, my experience here as a Portuguese expat. You can access through this link: The Rising Sky Blog Should you have some questions on how to come to Japan, what to do, where to study, etc., feel free to contact me!

Original by Tomoko Kamishima

Deixar um comentário