Kiyomizu-dera, Quioto

Mergulhe no Mt. Otawa

Por Bonson Lam   

No Kiyomizu-dera vende-se um amuleto que diz "para evitar acidentes de viação", e outro amuleto que diz "você vai evitar acidentes de viação e a sua família será feliz". Custam ambos 400 ienes cada um. Pensei para mim mesmo: "quem iria comprar o primeiro, quando a sua família poderia ficar feliz sem um custo extra?"

Normalmente não rezo por segurança na estrada, exceto quando ando na minha mota na autoestrada, ou quando a minha esposa sai até tarde, ou quando sinto aquela pancada no estômago durante uma turbulência repentina a meio de um voo. Uau, se calhar afinal rezo bastante.

Qual é o valor de uma oração atendida? 400 ienes? E se não recebermos aquilo por que rezámos? Significa que Deus não existe? Ou que ele é muito maior do que o objeto das nossas orações? E o que fazemos quando os nossos pedidos são atendidos, mas então nos apercebemos de que ainda não estamos satisfeitos?

As maravilhas das viagens estão nestes momentos de reflexão. Pensar nas grandes questões da vida ajuda a limpar a mente.

Tratando-se de uma das atrações mais populares em Quioto, este não é um local para uma contemplação silenciosa. Bom, pelo menos a partir das nove da manhã. É o sítio onde toda a humanidade vem em todas as suas cores e formas e com todo o tipo de esperanças e sonhos, ou apenas um sítio para admirar a beleza, algo que eleva o espírito.

É interessante observar as diferentes pessoas neste templo. Alguns vêm para apreciar a beleza da arquitetura e a sua disposição, e outros procuram uma renovação, numa peregrinação.

Olhando as inúmeras placas de orações a balançar ao vento, sinto-me tocado pelo choro dos seus corações, pela compaixão pelas suas famílias e amigos, e pela sua terna gratidão pelas oportunidades que receberam no Japão.

Não interessa aquilo em que acredita, nós somos todos feitos da mesma carne e sangue.

Muito antes de Quioto existir, existia um riacho nas longínquas montanhas Otawa que era conhecido por ter qualidades especiais. Deste modo, no ano 778, o Kiyomizu-dera, ou o templo da água pura, foi construído. Os edifícios que pode ver hoje foram reconstruídos no séc. XVII, incluindo o estrado que serve de observatório. Existe um ditado entre os japoneses que diz que quando se está prestes a tomar uma grande decisão, está-se prestes a saltar do estrado do Kiyomizu.

Por trás do edifício principal e do estrado, do lado da montanha, existe um santuário mais pequeno (Jishu) com duas pedras estrategicamente colocadas em cada ponta. Diz-se que se conseguir caminhar de uma pedra até à outra, com os olhos tapados e sem ajuda, encontrará o/a parceiro/a dos seus sonhos.

A esperança aqui é eterna; muita gente, novos e velhos,  com sorrisos que transparecem esperança e crer, chegam de um lado ao outro. Alguns amigos malandros podem tentar enganá-los, na esperança de uma boa gargalhada caso eles falhem, mas silenciosamente desejando que consigam.

Como Holley Gerth me lembrou: "a esperança é a semente que Deus planta nos nossos corações para nos lembrar que há coisas melhores para vir".

Este artigo foi útil?

Sugerir uma alteração

0
0
Andre Moreira

Andre Moreira @andre.moreira

Born in the Portuguese countryside in 1990, I've been living in Japan since 2012. After finishing my Computer Engineering University Course in Lisbon, Portugal, I decided to study Japanese in Tokyo, with the purpose of continuing my studies there. After one year of studying of the language, I entered a Japanese Professional College where I finished my study in 2015. I am now working in a videogame Japanese company as Motion Designer. I also write in my blog about Japan. My goal is to introduce Japan to anyone who is interested in the culture, the language, the music, the anime, the food, and so on. And that's what you can find there: everything! Plus, my experience here as a Portuguese expat. You can access through this link: The Rising Sky Blog Should you have some questions on how to come to Japan, what to do, where to study, etc., feel free to contact me!

Original por Bonson Lam

Deixar um comentário