Templo Shoren-in, Quioto

Desfrute destes templos com corredores fantásticos - 4

O Templo Shoren-in (fundado em 1150), situado apenas a 5 minutos a pé da estação de metro de Higashiyama, é um templo extremamente atraente. O que é mais impressionante é que podemos apreciar os seus três jardins de três formas diferentes. Além disso, podemos desfrutar de uma caminhada em volta do templo, tanto dentro dos edifícios como nos jardins exteriores. Esta é uma característica bastante única, pois a maioria dos templos em Quioto costuma fechar ou os edifícios ou os jardins. Significa que podemos apreciar os jardins não só a partir das salas e dos corredores, mas também caminhando ao ar fresco. O jardim principal, chamado Soami-no-niwa, é um jardim muito sofisticado para excursões centrado em volta de um lago. Uma pequena colina e a disposição das árvores estão impecavelmente balanceadas. Foi desenhado por Soami, que também tem o jardim de pedras no Templo Ginkaku-ji com o seu nome.

Rota do Passeio

Primeiro entre no edifício e aprecie o Jardim Soami-no-niwa, desfrutando a partir dos corredores que se estendem em forma de ferradura de cavalo. Depois, desfrute do jardim coberto de musgo do templo a partir dos corredores em redor dos edifícios. Por fim, vá para o exterior e faça uma caminhada através do jardim de azáleas, terminando nos anteriores dos jardins novamente.

Sala Kacho-den

Quando entramos no edifício, o primeiro local por que passamos é uma sala de receção chamada Kacho-den. Ser-lhe-ão dadas as boas-vindas por belas portas deslizantes de papel com flores de lótus. E por cima delas, 36 quadros com pinturas e poemas de 36 poetas estão expostos na parede. Desfrute destas decorações, e prossiga para a ampla sala de tatami na parte de trás. Se se sentar no meio da sala, sentir-se-á no meio de um banho de luz que entra na sala através das suas grandes janelas. A maior parte das pessoas ficou aqui durante um longo tempo. Tal como eu. Fui completamente envolvida pelo calor dos raios solares, desfrutando da beleza do jardim no meio do silêncio. Este jardim está atribuído a Soami, e chama-se Jardim Soami-no-niwa (Jardim de Soami).

Corredores de Madeira

Depois de desfrutar do jardim, saia da sala e caminhe ao longo dos agradáveis corredores de madeira que ficam de frente para o jardim. Trata-se do mesmo jardim, mas o que é interessante é que quando o olhamos de diferentes ângulos ao caminhar pelos corredores, ficamos com a sensação de o jardim estar a mudar segundo após segundo. Passando através das Salas Kogosho e Hondo, chegamos à parte mais interior do jardim. Depois da Sala Hondo, o caminho volta para trás, levando à Sala Shinden.

Sala Shinden

Na Sala Shinden costumam ter lugar cerimónias importantes. O jardim em frente a Shinden é um espaço aberto coberto de musgo e com apenas algumas árvores. O fresco musgo verde tem um efeito relaxante nos nossos nervos! É tão belo.

Caminho do Jardim

No fim, volte ao primeiro local por onde entrou, e saia para o jardim. Quando seguimos o percurso, podemos ver um jardim de azáleas (desenhado por Kobori Enshu), o Jardim Soami-no-niwa, uma grande vista de toda a área do templo a partir do topo da colina, e o jardim coberto de musgo, nesta ordem.

Soami

Soami (1459?-1525) foi um criador com vários talentos que serviu o Shogunato Ashikaga. Ele era pintor, perito em caligrafia, poeta, planeador de jardins, e mais. O avô de Soami, tal como o seu pai e ele próprio eram artistas proeminentes que tinham audiências com o Imperador e o Shogun com bastante frequência. Soami tornou-se grande mestre de pintura e decoração de salas. Alguns das suas pinturas estão na posse do Museu de Arte de Met e Cleveland.

Sobre esta série

O Período Heian do Japão (794-1185) foi uma era de aristocracia. O seu gosto refinado encontrou o seu lugar no desenho dos edifícios dos templos e dos jardins. Frequentemente os edifícios não tinham paredes, mas no seu lugar tinham persianas de madeira ou portas deslizantes por todo o lado. Quando as persianas ou portas estavam completamente abertas, o interior das salas tornava-se numa parte do mundo exterior. Os corredores exteriores com telhado ligando os edifícios eram também locais onde podiam tocar na natureza, desfrutar dos jardins, e respirar e sentir o ar puro, ao mesmo tempo que estavam protegidos da chuva, neve e raios de sol fortes. Os nobres apreciavam muitíssimo a alteração sazonal dos jardins, e o toque confortável da madeira destes impressionantes corredores exteriores.

Os templos que esta série cobre (ver abaixo) foram todos fundados no Período Heian, e são admirados pela disposição dos seus belos corredores. Espero que goste tanto deles como eu gostei!

1 - Templo Eikan-do (fundado em 853): Excursão através de uma coleção de corredores verticais, que levam a níveis superiores

2 - Templo Daikaku-ji (fundado em 876): Excursão através de um labirinto de longos corredores horizontais

3 - Templo Ninna-ji (fundado em 888): Corredores em zigzag ligando jardins de areia e de lagos

4 - Templo Shoren-in (fundado em 1150): Corredores em forma de ferradura percorrendo três jardins

Se gostou desta série, poderá gostar também da minha outra série, Desenhadores Proeminentes de Jardins. Esta série apresenta cinco famosos jardins de Quioto.

Este artigo foi útil?

Sugerir uma alteração

0
0

Deixar um comentário

Thank you for your support!

Your feedback has been sent.