Museu Sato Sakura em Tóquio

Pinturas modernas num estilo tradicional

Por Peter Sidell   19/08/2015

Apenas uns minutos a pé da estação de Naka-Meguro (perto de Shibuya), encontra-se o Museu Sato Sakura, especializado em Nihonga contemporâneo - pinturas executadas com temáticas, técnicas e materiais tradicionais japoneses. Anualmente, o museu tem várias exposições diferentes, dispondo também de uma seleção rotativa da sua própria coleção, em que se destacam, maioritariamente, telas com pinturas de cerejeiras.

Quando visitei o museu, a exposição especial tinha como tema "Grande coletânea de cachorros, gatinhos e passarinhos", título que deverá parecer um pouco mais elegante no original japonês. Muitas pinturas exibiam animais sobre fundos lisos, um estilo típico de Nihonga, visando focar a atenção nos animais e noutros elementos incluídos pelos pintores. Muitas destas obras apresentavam tonalidades claras: numa, um grupo de diferentes cães encontrava-se a brincar com algumas bolas coloridas; na outra pintura, outro grupo de cães estava sentada à mesa de jantar, esperando que a refeição fosse servida.

As pinturas com pássaros eram mais contidas: garças numa árvore com neve, pardais entre as cerejeiras com um fundo dourado vibrante, um pato deixando um rasto atrás enquanto nadava por entre as pétalas caídas sobre um lago... E os gatos encontravam-se representados numa variedade similar de situações: um a observar uma aranha, outro, enorme, com algumas borboletas, um conjunto de quatro pinturas com gatos em fundos com flores sazonais.

No segundo piso, estavam as "100 imagens de Sakura", uma sala cheia de pinturas com cerejeiras. Observá-las foi extremamente relaxante e algumas obras apresentavam um detalhe requintado, com cada pétala das flores pintada individualmente. Havia, também, uma grande variedade de cenários: uma cena noturna com um pagode, uma vista a partir de chapéus-de-sol vermelhos sob uma árvore, uma floresta com algumas simpáticas flores cor-de-rosa refletidas no lago.

Apesar do sentimento e do tema tradicionais, muitas das pinturas foram produzidas apenas nos últimos anos, sendo a mais antiga datada de 1970. Há uma grande variedade ao nível das exposições, pelo que, embora o museu seja pequeno, terá muito para ver e apreciar. À saída, destaca-se uma loja de souvenirs com um pequeno conjunto de artigos, como postais e impressões, pelo que poderá adquirir uma lembrança da sua visita antes de regressar ao mundo moderno.

Escrito por Peter Sidell
Parceiro da JapanTravel
Traduzido por Diana Nukushina

Deixar um comentário